Ir para o conteúdo

Inadimplencia de Condominio

 

Morar em condomínio tem suas muitas vantagens, mas é impossível oferecer toda essa infraestrutura sem um custo. A taxa condominial é um valor acordado, em assembleia, pelo síndico, a ser pago por todos os condôminos, de modo a subsidiar as despesas do prédio.  

É por esse motivo que a inadimplência de condomínio é tão preocupante, pois afeta diretamente o fluxo de caixa da edificação.  

O que traz consequências graves ao síndico – que precisará tomar algumas atitudes decisivas, e ao condômino – que arcará com as complicações de não ter efetuado devidamente a contribuição.  

Seja para condomínios verticais ou horizontais, a taxa condominial é imprescindível para manter, não comprometer e melhorar o empreendimento.  

Neste artigo, você vai entender desde o básico da inadimplência até as soluções que o síndico poderá promover em nome do condomínio no azul. 

Vale a leitura completa! 

 

O que é feito com o dinheiro da taxa condominial 

 

A taxa condominial serve para pagar as despesas, como água, luz, folha de pagamento dos funcionários e manutenções do condomínio. Porém, quando um proprietário deixa de pagar é preciso tirar esse dinheiro de algum outro lugar para quitar todos os custos do empreendimento. 

Assim, o síndico remaneja esse desfalque para tentar fechar o mês no azul. O que, na maioria das vezes, não é possível, já que cada pagamento é importante no valor total das despesas condominiais.  

 

Como a inadimplência prejudica o condomínio

Quando um ou mais condôminos não pagam o condomínio pontualmente, é preciso compensar este dinheiro de alguma maneira para manter as contribuições do condomínio em dia.

Muitas vezes, isso ocorre na forma de aumento da taxa condominial para outros proprietários. Portanto, quem paga na data certa acaba custeando a conta de quem está atrasado.

Além disso, novos transtornos surgem para o condomínio. Até porque, o síndico vai precisar cobrar o condômino inadimplente. Isso quer dizer gastar uma energia muito grande para gerenciar uma crise que, por vezes, não tem prazo para terminar, acarretando conflitos internos.

Em casos mais simples, o síndico pode tentar resolver a situação fazendo um acordo amigável com o devedor. Porém, quando não existe essa possibilidade, é preciso recorrer a meios jurídicos. Provocando desgastes nas relações de convivências.

Outro aspecto importante que a inadimplência provoca é em questão aos novos investimentos para o condomínio. Com a falta de dinheiro em caixa fica inviável, para o síndico, apostar em reformas, melhorias ou obras.

Sendo assim:

  • O empreendimento fica no vermelho;
  • Os outros moradores precisam desembolsar mais;
  • O síndico é forçado a tentar um acordo, senão entrar com um pedido judicial;
  • Os serviços do condomínio vão ficando precários pela falta de investimento, o que desvaloriza o imóvel.

 

De que forma fica o inadimplente

Agora que já entendemos um pouco sobre como a inadimplência prejudica o condomínio e desgasta o síndico, vamos falar sobre o que acontece com quem deixa de pagar a taxa condominial.

Em um primeiro momento, o morador será notificado e terá um prazo, normalmente de 30 dias, para quitar a dívida. Assim, já é previsto por lei que pode ser cobrada multa de 2%, além de juros de 1% ao mês e correção inflacionária.

Caso a dívida não seja paga, o condomínio pode tentar uma negociação amigável antes de entrar com uma ação judicial.

Para quem está devendo, é recomendável sempre tentar fazer um acordo o quanto antes. Assim, evita-se o acúmulo de juros, além dos custos e atritos de uma ação judicial.

Se você for um inadimplente, pense que quanto maior a dívida ficar, mais difícil será para quitá-la. Então, tente resolver a situação o quanto antes para evitar outros problemas que possam comprometer seus bens.

Na ocasião da dívida não ser paga por meio de acordo, o condomínio tem direito de entrar com ação judicial de cobrança. Apesar do processo ser longo, ao final as consequências para o devedor são bastante duras.

É importante ressaltar que o síndico não pode e nem deve dar descontos ao condômino inadimplente.

 

Quais as formas de ter zero inadimplência

Como foi possível perceber, a inadimplência no condomínio traz péssimas consequências para todos os envolvidos. Portanto, para prevenir esse mal, é preciso pensar em soluções práticas que resolvam a questão da melhor maneira.

Aos inadimplentes, a melhor recomendação é procurar negociar a dívida se comprometendo a pagá-la com uma forma de pagamento acessível, antes que o caso vire uma cobrança judicial. Seja transparente com o cobrador e não ignore a dívida.

Para os síndicos e administradoras, o mais sensato é agir de forma preventiva, procurando manter os custos do condomínio sob controle, fortalecer o fundo de reserva e cobrar de maneira assertiva quando necessário for.

Além do mais, para realmente ter inadimplência zero no condomínio, considere contratar o serviço de uma garantidora, assim como a Holder. Porque ela vai assumir a cobrança condominial e repassá-la em valor integral, mesmo havendo inadimplentes.

Sem inadimplências, é possível ter mais tranquilidade e segurança para planejar obras e melhorias, tanto de convivência, quanto na segurança do condomínio.

Gostou desse conteúdo? Contrate os serviços da Holder e não tenha mais preocupações com inadimplência de condomínio.

Role para cima